Troca de conhecimentos: oficina do Case NH é estendida para o Case de Caxias do Sul

Criado em 2006 no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Novo Hamburgo, o projeto Mãos que Sonham desembarca agora no Case de Caxias do Sul. Nesta terça-feira (24), a oficineira e agente socioeducadora Yasmin Vitória Vieira, esteve em Caxias do Sul para apresentar o projeto a um grupo de adolescentes e a iniciativa passa a ser implementada na unidade.

No Mãos que Sonham, os jovens produzem os amigurumis, técnica japonesa para criar bonecos feitos de crochê ou tricô. O Case de Caxias do Sul já tem oficinas de crochê, mas agora a técnica dos amigurumis será aprimorada e transmitida de adolescente para adolescente por meio de videoconferência, sob supervisão da equipe técnica da Fase.  “Mostramos a eles como a produção funciona, levamos alguns exemplos e os jovens se mostraram muito receptivos. A oficina também tem como objetivo uma fonte de renda para os adolescentes”, explica Yasmin.

Hoje, em Novo Hamburgo, cerca de 30 jovens, divididos em pequenos grupos, participam do projeto, coordenado pelas agentes Yasmin, Adriana Barth e Mirian Paganotto, com supervisão das pedagogas Andréa Herder e Liana Gonçalves.

Em Caxias, é coordenado pela pedagoga Tanisa Fernanda Benati e tem como oficineiros os agentes Luiz Eduardo Lorandi e Maria Rosane Donada.

As oficinas também têm caráter terapêutico para os socioeducandos, onde são desenvolvidas as habilidades de concentração, raciocínio e coordenação motora. “São pontos básicos de crochê, é fácil de aprender, mas requer atenção e dedicação”, destaca a oficineira.

A proposta tem apoio e supervisão da Diretoria Socioeducativa (DSE).

Mãos que Sonham

149 visualizações 1 visualizadas hoje