Projeto Pintando Histórias traz a inspiração de Tarsila, Van Gogh e Romero Britto para jovens da Fase

expo

Presidente da Fase, Farelo Almeida, visitou a exposição na manhã desta quinta-feira (22)

Uma nova ideia que potencializou o trabalho desenvolvido em duas oficinas do Centro de Convivência e Profissionalização (Ceconp) originou o projeto chamado Pintando Histórias, que foi transformado em exposição. As obras de 11 adolescentes estão sendo apresentadas no saguão da Sede Administrativa da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) nesta quinta (22) e sexta-feiras (23). Após um mês de intensa produção, as oficineiras Danielle Telles (pintura em tecido) e Alessandra Cantoni (leitura) conseguiram um resultado superior àquele que esperavam dos participantes.

O Pintando Histórias apresentou aos jovens, inicialmente, a vida e a obra de três artistas famosos por meio da oficina de leitura: Romero Britto, Tarsila do Amaral e Vincent Van Gogh. Através da pesquisa em livros da biblioteca do Ceconp, os jovens passaram a conhecer os nomes célebres da pintura brasileira e mundial e suas histórias pessoais. Uma vez inseridos nesse universo, na oficina de pintura em tecido eles aprenderam a conhecer e a empregar as técnicas de desenho das personalidades previamente estudadas.

Sem título-1 As oficineiras Danielle Telles e Alessandra Cantoni

As oficineiras Danielle Telles e Alessandra Cantoni

Oficinas
A diretora do Ceconp, Josiane Mônaco, destaca que a idéia da pintura em tecido para os socioeducandos é desenvolver habilidades e, até mesmo, trabalhar a questão implícita de regras, “pois se elas não forem seguidas, a pintura não sai correta”, diz. Além disso, ressalta Josiane, “esta oficina é profissionalizante, na medida em que, quando o adolescente se forma, recebe a Carteira de Artesão emitida pela Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS)”. O documento possibilita o reconhecimento como profissional autônomo, possibilitando que este contribua para a Previdência Social e emita notas fiscais de suas vendas, com a isenção do ICMS. “É também uma fonte de renda, pois é com o artesanato muitas famílias se sustentam em todo o Brasil”, ressalta.

Sem título-4

Inspiração Casal Coração, de Romero Britto

Ainda sobre a pintura em tecido, a oficineira Danielle conta que a idéia é também trabalhar com a arte em pano de prato, pois vende-se o produto final e a quantia é revertida para comprar mais material para dar continuidade à oficina. “Escolho alguns desenhos mais fáceis de vender a partir de alguns moldes prontos que tem mais saída. No entanto, o projeto Pintando Histórias foi uma forma de tirar os jovens desse foco do desenho pronto, pois eles questionavam quem havia feito aquilo que eles estavam pintando. Conversando com a Alessandra, surgiu a ideia de casar a leitura que eles faziam na oficina coordenada por ela com a nossa de pintura”, conta.

Sem título-3

Inspiração em Os Girassóis, de Van Gogh

Por sua vez, Alessandra explicou que cada aluno, durante as aulas, teve que fazer uma leitura em voz alta sobre a vida do artista, sua obra e ainda assistir a um vídeo a respeito. “Na verdade, como eu sou deficiente visual, eu trabalho em conjunto com os meus colegas. A Danielle fez uma excelente parceria comigo”, disse. Questionada sobre a motivação das escolhas dos nomes dos pintores homenageados, Alessandra ressaltou que as pessoas escolhidas também tinham suas dificuldades na vida, mas que superaram isso e deixaram um excelente legado para a sociedade. “Romero Britto enfrentou uma infância pobre. Van Gogh tinha depressão. Tarsila passou pela prisão e pela perda de uma neta. Entendemos que todos eles tinham dificuldades e que não eram pessoas que nasceram glamorosas, felizes e contentes”, concluiu.

Sem título-2

Inspiração em Abaporu, de Tarsila do Amaral

Um dos jovens participantes do Pintando Histórias frequentou apenas as aulas de leitura, pois já havia concluído pintura em tecido e cursava durante a vigência do projeto a oficina de cerâmica, tendo permissão especial para apresentar um estudo sobre os três artistas estudados por meio da confecção de peças de escultura feitas em argila. Cada aluno, ao final do curso, levou um de seus trabalhos para casa. O Pintando Histórias tem uma nova edição prevista para janeiro 2020. O Centro de Convivência e Profissionalização estuda, também, a possibilidade de confecção de um livro mostrando as obras completas dos adolescentes.

Sobre o Ceconp
O Centro de Convivência e Profissionalização (Ceconp) tem por objetivo coordenar, executar oficinas de caráter pedagógico, cultural, educativo e de preparação dos jovens para o mercado de trabalho e geração de renda. É destinado para os adolescentes que cumprem medida de Internação vindos de todos centros de atendimento de Porto Alegre.

Texto e fotos: Marcelo Vaz

1864 visualizações 1 visualizadas hoje