Ligações telefônicas ajudam na manutenção dos vínculos familiares durante suspensão temporária das visitas

Uma preocupação global, a pandemia causada pelo novo coronavírus tem levado à adoção de diversas medidas para resguardar a saúde da população. Na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase), desde o início de março, ações preventivas estão sendo cumpridas a fim de assegurar a saúde e segurança dos adolescentes e funcionários.

No dia 24 de março, as visitas familiares foram suspensas temporariamente em todas as unidades de Porto Alegre e, na sequência, em vários centros da Fase no interior. A iniciativa partiu da direção geral da Fundação com o propósito de evitar aglomerações de pessoas, sendo atendida prontamente pelos juízes locais.

Com o objetivo de assegurar a integridade física e psíquica dos adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, na qual se insere o direito fundamental à saúde integral, bem como a manutenção e fortalecimento dos vínculos familiares durante o período de privação de liberdade, e respeitando o que preconiza o Estatuto da Criança e Adolescente e da Lei n° 12.594/2012 (Sinase), desde então, o contato dos socioeducandos com seus núcleos familiares vem sendo mantido por meio de ligações telefônicas semanais. “As unidades têm se organizado para que sejam feitas ligações semanais às famílias. O número de ligações é flexível, baseada em avaliação da equipe técnica e, em alguns casos, são realizadas via whatsapp”, explica a coordenadora de medidas socioeducativas da Fase, Cláudia Patel.

A mãe de um adolescente, que cumpre medida desde novembro em Porto Alegre, acredita que neste momento o contato por telefone é o mais seguro para todos. “A gente entende a gravidade da situação e que isto é necessário. Ele está mais protegido do que nós”, relata.

O presidente da Fundação, Farelo Almeida, destaca a importância de se manter esses vínculos fortalecidos. “Estamos passando por um momento de isolamento social e cabe a todos nós seguirmos os procedimentos de proteção e prevenção contra o coronavírus. Não somos imunes, vamos proteger a vida dos jovens, das famílias e dos nossos servidores”.

Ações pedagógicas

Durante a suspensão das visitas, as equipes socioeducativas estão executando ações pedagógicas de comunicação e conscientização dos adolescentes a respeito da Covid-19, sendo as atividades avaliadas, diariamente, pelo Comitê de Monitoramento em Saúde.

Os procedimento são compartilhados com os Grupos e Monitoramento em Saúdes constituídos nas regionais. Desta forma, tem sido possível conciliar a proteção integral aos jovens em cumprimento de medida socioeducativa e, ao mesmo tempo, gerar o mínimo de prejuízo aos Planos Individuais de Atendimento.

Ligações família

474 visualizações 1 visualizadas hoje