Jovens realizam ação voltada para crianças com deficiência do Abrigo Cônego Paulo de Nadal

fpe1

Os estudantes da Escola Estadual Senador Pasqualini, que atende os adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Padre Cacique e do Centro de Internação Provisória Carlos Santos (CIPCS), realizaram nesta terça-feira (5) uma ação solidária para as pessoas com deficiência do Abrigo Cônego Paulo de Nadal da Fundação de Proteção Especial (FPE). Os jovens interagiram com os acolhidos através de música e brincadeiras,  em atividade alusiva ao Dia da Solidariedade, previsto no calendário escolar.

Os jovens confeccionaram brinquedos em sala de aula e prepararam um teatro com fantoches. A vice-diretora da Escola, Maria Luciane Franco, destacou que a intenção em propor a atividade para os socioeducandos foi “mostrar que todos podem contribuir com a comunidade. Este contato será relevante para que possam se solidarizar”. Os professores e pedagogos da Fase também colaboraram levando doações de creme dental para os atendidos.

A diretora do Abrigo, Sandra Pacheco, afirmou que esta ação foi importante para que os jovens pudessem vivenciar uma realidade diferente da que estão habituados. “A Fase é um lugar passageiro para estes adolescentes que ainda têm família e recebem visitas. Já as crianças que entram aqui acabam permanecendo e esta se torna a sua casa. São pessoas que não andam, não falam e não tiveram oportunidades. É  importante que possam vivenciar esta realidade e refletir a respeito”.

Um dos socioeducandos, de 17 anos, afirmou que “é muito bom vir aqui ajudar em algo. Eu estou no coral e adoro cantar e, hoje, a gente pôde vir aqui fazer isso aqui. Foi algo que todos gostaram”, relatou. Outro jovem, de 19 anos, destacou que gostou do trabalho desenvolvido no abrigo. “Achei muito bonito o que é feito aqui. Todo mundo pode ter um filho com deficiência e dá pra ver que aqui eles são bem cuidados”.

Sobre o Abrigo Cônego Paulo de Nadal

A instituição é pertencente à Fundação de Proteção Especial (FPE) e atende crianças e adultos com deficiência física e cognitiva em situação de vulnerabilidade social. Atualmente, o local abriga 50 acolhidos e disponibiliza acompanhamento médico, psicológico e pedagógico.

Texto e foto: Jéssica Cofferri

 

2170 visualizações 1 visualizadas hoje