Fase e Judiciário realizam primeiras audiências online em Porto Alegre

Foto com rosto borrado

 

Em ação preventiva à propagação da Covid-19, a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase) e o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul começaram na quinta-feira (2/4) a realização de audiências online dos jovens e adolescentes atendidos pelas unidades de Porto Alegre.

O atendimento remoto foi articulado e construído em parceria entre a Fase e o Poder Judiciário, que disponibilizou o software para realização das audiências, enquanto a fundação organizou a estrutura e a segurança.

A intenção da Fase, segundo o presidente Antônio Carlos Rocha Almeida, é garantir o andamento dos processos sem atrasos, resguardando ao mesmo tempo a saúde e a segurança dos adolescentes, familiares e funcionários. “É uma ação preventiva, que possibilita uma redução de custos e menos riscos a todos os envolvidos”, explicou.

Ao longo do dia, cinco jovens participaram de audiências com o juiz da 3ª Vara Regional da Infância e Juventude de Porto Alegre, Charles Maciel Bittencourt, o promotor Alexandre da Silva Loureiro e a defensora pública Daniela Bueno, tendo o acompanhamento de familiares e da Diretoria Socioedutiva (DSE) da Fase.

Todas as ações preventivas estão sendo asseguradas para o andamento das atividades, com a disponibilização de máscaras, luvas, álcool em gel e higienização dos ambientes. As audiências permanecerão neste formato por tempo indeterminado e deverão ser estendidas, na mesma modalidade, para o interior do Estado.

601 visualizações 2 visualizadas hoje