Escola Tom Jobim é referência na promoção da paz em trabalho realizado no Case POA 1

Círculos são realizados na sala de aula

Círculos de Construção de Paz são realizados no espaço da sala de aula


A Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Tom Jobim, que atende quatro unidades de internação da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo, no Complexo Cruzeiro, em Porto Alegre, recebeu o título de Núcleo Pioneiro (referência) na implantação dos Círculos de Justiça Restaurativa e Construção de Paz, pelo trabalho desenvolvido em parceria com a unidade Case POA 1. A distinção foi concedida em evento realizado na Ajuris, na última semana, através do Escola + Paz, um programa que tem como objetivo implantar princípios e práticas da Justiça Restaurativa e dos Círculos de Construção de Paz para diminuir a evasão escolar e a violência e que é coordenado pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, com apoio da Secretaria de Estado da Educação e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Segundo a diretora da Escola Tom Jobim, Silvana Carvalho, a Cultura de Paz é transformadora por excelência e se constitui numa via privilegiada para a formação humana. “A importância que gera na educação, vai além da produção do conhecimento, pois ela permite o aperfeiçoamento pessoal, emocional, intelectual e profissional do ser humano”, destaca.  Para o diretor do Case POA 1, Mauricio Pozolo, a parceria entre a unidade que comanda e a instituição de ensino torna-se a oportunidade de fazer, dentro da sala de aula, as políticas de Estado acontecerem. “A parceria entre a nossa unidade e a Escola Tom Jobim, como pioneiros na organização e realização dos Círculos de Paz dentro do sistema socioeducativo gaúcho, nos traz a certeza de que estamos no caminho certo. As duas instâncias se completam e fazem a entrega do adolescente com novas perspectivas ao utilizar essas ferramentas”, disse. 

A proposta é que a ação se estenda também para os outros três centros de atendimento existentes no Complexo Cruzeiro, com o objetivo de oportunizar aos adolescentes práticas restaurativas, integrando no seu cotidiano a Cultura de Paz. “Essas práticas nos levam a lidar com os conflitos de forma diferenciada. Desafiando os tradicionais padrões punitivos, passamos a encarar os conflitos como oportunidades de mudança e de aprendizagem, ressaltando os valores da inclusão, do pertencimento, da escuta ativa e da solidariedade. São mudanças de modelos de cultura e de paradigmas que permitem uma melhoria nos relacionamentos, contribuindo para a construção de Cultura de Paz nos espaços escolares”, concluiu  Silvana.

Círculos de Construção de Paz

O Círculo de Construção de Paz é um processo que auxilia a comunicação em grupo, buscando a reflexão através do diálogo sobre problemas pessoais, aspirações individuais e reconhecimento de erros. O método é indicado pelo Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) por potencializar a vivência de valores fundamentais.

Texto: Marcelo Vaz

1894 visualizações 2 visualizadas hoje