Escola do Case NH realiza a sua primeira cerimônia de formatura

Adolescentes do Case NH durante cerimônia de formatura. - Divulgação/CaseNH

Adolescentes do Case NH durante cerimônia de formatura. – Divulgação/CaseNH

Com muita expectativa e um certo nervosismo, sete alunos da Escola Estadual Bento Gonçalves, situada no Centro de Atendimento Socioeducativo de Novo Hamburgo (Case), encerraram ontem (19) um ciclo importante de suas vidas: a conclusão de uma etapa da Educação Básica. Com direito a toga, música, professor paraninfo e oradores, a cerimônia emocionou a todos os presentes: professores, funcionários e familiares. Seis alunos concluíram o Ensino Fundamental e um concluiu o Ensino Médio e a expectativa de todos é expressa na fala do adolescente P. H. L. S.: “o estudo será a porta que abrirá coisas novas e boas para a minha vida”.

A dimensão da importância desta etapa fica ainda mais evidente dada a baixa escolaridade de muitas famílias: “estou orgulhoso e sei que meus pais também: sou a primeira pessoa da família a concluir o Ensino Fundamental e isso ninguém me tira mais”, declara emocionado o adolescente D.R.A.,de 17 anos. A mãe do adolescente A.J.P. diz, entre lágrimas, que espera que a vida seja melhor para o seu filho do que tem sido até aqui: “ele é o único dos meus filhos que conseguiu terminar os estudos”. Outro sonho que todos alimentam é a vontade de continuar os estudos: “gosto de carros, quero fazer faculdade e ser engenheiro mecânico”, projeta P.H.L.S.

Entre as autoridades presentes estavam o professor paraninfo, Paulo Christófoli, a diretora da Escola, Maria Isabel Fustini, o diretor da Case, Marlos Oliveira e a coordenadora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Rosana Santos. Marlos destacou a importância do trabalho integrado entre a Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos e a Secretaria de Educação. Ele destacou ainda a qualidade do trabalho realizado na Escola Bento Gonçalves “somos a única unidade do Brasil que aderiu a três programas federais de promoção de oportunidades e de inserção social: o Mais Educação, o Pronatec e o POE (Programa Operacional Estadual)”.

A titular da 2ª CRE, Rosana Santos, destacou a simbologia da cerimônia e a importância de marcar o ato como uma espécie de renascimento social. Rosana também falou da escolarização como um caminho para a inclusão e destacou a obrigação dos gestores públicos de promover oportunidades aos jovens. A diretora da Escola, Maria Isabel Faustini, acredita que a alegria do ritual de formatura servirá de estímulo aos estudantes para quererem avançar mais. São muitas histórias para contar, todas dignas de registro, porém, se nada tivesse sido registrado, bastariam as palavras do orador da turma, o estudante P.H: “nós não somos maus, nós agimos mal e a formatura representa o início de uma nova etapa em nossas vidas”.

Com informações da Secretaria de Educação

1788 visualizações 5 visualizadas hoje