Adolescentes da FASE no Acampamento Farroupilha

Técnica de dobraduras atraiu atenção das crianças -Foto: Márcio Teixeira

Técnica de dobraduras atraiu atenção das crianças -Foto: Márcio Teixeira

Nem a chuva e o barro impediram que os gaúchos comemorassem a Semana Farroupilha. Nesta semana milhares de pessoas, especialmente estudantes, passaram pelos lamacentos corredores entre os piquetes do Parque Maurício Sirotzky. Em cada canto do parque anônimos e muitos nem tão anônimos assim, mostravam de uma ou outra forma, a sua arte. A arte de cozinhar, de fazer um tradicional churrasco ou um suculento carreteiro de charque. Os sons de gaitas e violões se confundiam e se misturavam por entre as barracas e improvisados palcos. O público cantava, aplaudia, se emocionava e se orgulhava de viver num Estado como o nosso e de poder passar de pai para filho a história de nossa terra.

Pois a FASE também lá esteve mostrando ao público um pouco do talento de adolescentes que cumprem medida socioeducativa em suas unidades e de jovens que passaram pela FASE e já convivem em sociedade como egressos do sistema, recuperados, buscando novas oportunidades.

Lá esteve um grupo de adolescentes da Unidade Padre Cacique, comandados pelo Técnico em Recreação, Bruno Krenzinger, mostrando a arte da dobradura, a técnica e os objetivos que, além de despertar a criatividade dos jovens, auxilia como terapia ocupacional além de produzir renda com a venda das peças por eles produzidas. Foram montadas mesas de trabalho, cada uma com um adolescente ensinando os visitantes a manusear as folhas de papel, transformando-as em pequenos objetos de arte decorativa.

EGRESSOS

Outra importante participação da FASE foi com dois adolescentes egressos do sistema que passaram pela unidade de Santo Ângelo e hoje vivem em suas comunidades, um em Tenente Portela e o outro em Derrubadas, no noroeste do Estado. Após cumprirem a medida socioeducativa os dois adolescentes, Paulo e André, resolveram juntar a amizade que os uniu enquanto estavam na FASE e desenvolver uma arte que ambos apreciam; a música. Eles estão há quase um ano percorrendo o Rio Grande apresentando canções do nosso folclore. Um é gaiteiro e outro toca violão. Ambos cantam e encantam por onde passam. No acampamento, além de apresentarem sua arte no Palco Principal, participaram, ao vivo, do programa Hora do Mate, da Rádio Rural, no Galpão da RBS, juntamente com Bagre, Paulinho e Ernesto Fagundes. Depois, por mais de uma hora, à noite, a dupla se apresentou novamente no palco central.

738 visualizações 1 visualizadas hoje